MPCE debate fortalecimento das Instituições de Longa Permanência para Idosos no contexto da pandemia


O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), representado pelo promotor de Justiça Alexandre Alcântara, participou, na noite dessa terça-feira (14/12), de uma live, com o tema “De Frente com a Frente – A importância da coletividade – Lições aprendidas com a COVID-19: como será o depois?”, organizada pela Frente Nacional de Fortalecimento às Instituições de Longa Permanência para Idosos (FN-ILPI). O evento visou refletir acerca dos aprendizados decorrentes dos desafios enfrentados no contexto de pandemia e discutir, a partir disso, a adoção de melhorias nas instituições de atendimento aos idosos.

A reunião virtual contou com a participação do titular da 1ª Promotoria de Justiça de Defesa do Idoso e da Pessoa com Deficiência de Fortaleza e coordenador auxiliar do Centro de Apoio Operacional da Cidadania (CAOCidadania), o promotor de Justiça Alexandre Alcântara; da presidente da Frente Nacional de Fortalecimento à ILPI, Karla Giacomin; da CEO do Portal do Envelhecimento, Beltrina Côrte; do doutor em Saúde Pública, Alexandre Silva; e do coordenador do Departamento de Normatização e Orientação (Denor) da Sociedade de São Vicente de Paulo, Sandro Poleto.

O promotor de Justiça Alexandre Alcântara deu início à discussão manifestando uma das reflexões extraídas do período pandêmico, que consiste na necessidade da valorização da coletividade, exemplificando, para isso, a desigualdade na distribuição de vacinas no mundo. O membro do Ministério Público chamou ainda a atenção para o surgimento da variante do Coronavírus que está provocando alerta à população mundial, a Ômicron, principalmente por seu potencial de mutação.

Dando continuidade ao encontro virtual, Alexandre Alcântara frisou também que a Frente Nacional de Fortalecimento à ILPI evidenciou, nesse sentido, a importância do trabalho em equipe, ressaltando o trabalho interinstitucional de enfrentamento à pandemia, assim como o monitoramento do funcionamento das ILPIs desenvolvido em conjunto pelo MPCE, o Governo do Estado do Ceará, as Secretarias de Saúde Estadual e Municipais, os Conselhos Estadual e Municipais de Defesa da Pessoa Idosa e os gestores das Instituições de Longa Permanência para Idosos.

O titular da 1ª Promotoria de Justiça de Defesa do Idoso e da Pessoa com Deficiência apontou como uma terceira lição deixada pelo enfrentamento da pandemia o fato de que não existem soluções simples para problemas complexos. Frisou então que é essencial a união de esforços para a resolução dessas dificuldades.

Na ocasião, Alexandre Alcântara destacou que, no curso da pandemia, a promotoria tanto participou, quanto expediu diversas recomendações para que as instituições referentes participassem dos eventos da Frente Nacional de Fortalecimento à ILPI. No decorrer do evento virtual, o coordenador auxiliar do CAOCidadania ainda relembrou as videoconferências que o MPCE realizou com o apoio do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), fazendo referência principalmente ao encontro que tratou da criação de um cadastro nacional dessas Instituições.

Por fim, o promotor de Justiça ressaltou que o pós-pandemia dependerá da articulação dos diversos setores sociais para integrar ao País uma Política Nacional de Cuidados e transformar a imagem das ILPIs frente à sociedade civil.

Frente Nacional de Fortalecimento à ILPI

A Frente Nacional de Fortalecimento à ILPI é composta por voluntários de diversas áreas do conhecimento das cinco regiões do Brasil. A FN-ILPI se destina a estimular ações de apoio às Instituições de Longa Permanência para Idosos, assim como empreender e propor ao poder público e à sociedade civil o aperfeiçoamento das políticas públicas de cuidados de longa duração à pessoa idosa. A Frente tem sido uma importante parceira do MPCE na realização de videoconferências sobre a pandemia de Covid-19.

Assessoria de Imprensa

Ministério Público do Estado do Ceará

Email:imprensa@mpce.mp.br