Após denúncia do MPCE, Justiça condena pai e filho pelo crime de tortura em Aurora


Após denúncia oferecida pelo Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) em Aurora, por meio do Promotor de Justiça Luiz Cogan, a Justiça condenou José Ribamar Gonçalves e seu filho, Francisco Tavares de Oliveira Neto, pelos crimes de tortura. José Ribamar foi condenado a 12 anos e seis meses de reclusão, enquanto Francisco Neto, a nove anos e três meses pelos atos criminosos, que ocorreram em outubro de 2020. Na decisão judicial também foi negado aos réus o direito de recorrer em liberdade.

Ribamar Gonçalves e Francisco Neto foram denunciados pelo MPCE por terem torturado dois funcionários de um estabelecimento comercial gerenciado por ambos. Pai e filho, supondo que os funcionários teriam subtraído uma quantia em dinheiro do comércio, torturaram as vítimas em busca de uma confissão. Durante a tortura, inclusive, uma das vítimas teve um dente arrancado pelos réus. José Ribamar, por já estar cumprindo pena pelo crime de receptação à época em que foi expedido mandado de prisão em seu desfavor, teve a pena aumentada, levando então aos 12 anos e seis meses de reclusão.

Assessoria de Imprensa

Ministério Público do Estado do Ceará

Email:imprensa@mpce.mp.br