MPCE participa de Sessão da AL sobre Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio  


10.09.19-hugomendonca-alceEm alusão ao Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio, a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará realizou, nesta terça-feira (10/09), sessão plenária especial para debater a conscientização e prevenção do suicídio e as ações de Setembro Amarelo. O evento contou com a participação de representantes do projeto Vidas Preservadas – do Ministério Público do Ceará (MPCE) –, parlamentares, profissionais de saúde e representantes de Secretarias Estaduais e do Corpo de Bombeiros do Ceará. 

A sessão especial foi solicitada pelo presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Mental e Combate à Depressão e ao Suicídio, deputado Evandro Leitão, que ressaltou o alto índice de mortes e enfatizou a necessidade de combater o problema.  “Os números de mortes por suicídio no Ceará são alarmantes, por isso o Parlamento cearense vai contribuir com trabalhos de sensibilização e informações sobre enfrentamento”, disse o parlamentar. 

Representando o Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE), o coordenador do projeto “Vidas Preservadas: o Ministério Público e a sociedade pela prevenção do suicídio”, o promotor de Justiça Hugo Mendonça, participou da sessão e informou que 51% das mortes violentas do mundo são em decorrência do suicídio. O Brasil é o 8° em número de casos, e o Ceará, o 5°. “Os dados são alarmantes, e o Ministério Público lançou um manifesto, dentro do projeto Vidas Preservadas, em prol de políticas públicas concretas para combater o suicídio no estado”, adiantou.      

O membro do MPCE apontou ainda a necessidade de criar um Plano Estadual de Prevenção e Intervenção do Suicídio no Estado e de garantir a implantação efetiva de uma rede de atenção psicossocial. “O Ministério Público está trabalhando junto aos municípios cearenses, incentivando que cada um faça seu Plano de Prevenção. Atualmente, 27 cidades já estão com planos elaborados, e vamos buscar ainda o Plano do Estado, para fomentar cada vez mais as ações de combate”, ressaltou.  

A secretária executiva da Saúde Mental da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), Lisiane Cysne de Medeiros Vasconcelos, salientou que a maioria das pessoas que cometem suicídio sofrem de depressão e alcoolismo. Para a secretária, é preciso observar os fatores de risco, além de conscientizar a população que suicídio não é diagnóstico, e sim o desfecho fatal de uma doença não tratada. “A cada 40 segundos, uma pessoa comete suicídio no mundo. Essa é a terceira maior causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos, e a maioria que recorre a essa prática está deprimida”, afirmou. 

Lisiane Cysne destacou que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), apenas 25% das pessoas que sofrem de depressão recebem tratamento adequado. “Um milhão e meio de pessoas se suicidam no mundo por conta de uma doença mental não tratada”, assinalou. 

A secretária parabenizou ainda a iniciativa de debater a prevenção do suicídio. “A nossa sociedade constrange as pessoas que admitem estar deprimidas. É preciso não apenas capacitar profissionais, mas também discutir esse tema e sensibilizar a sociedade”, apontou. 

*Com informações e foto da Assembleia Legislativa.

Assessoria de Imprensa

Ministério Público do Estado do Ceará

Email:imprensa@mpce.mp.br